Frente a uma equipa fisicamente mais forte, “O Elvas” foi derrotado no primeiro dos dois jogos agendados para este fim-de-semana.

Apesar da fortaleza física do adversário, os azuis e ouro bem se podem queixar de si próprios, pois os 32 turn overs e os 22 lances livres falhados são números que só poderiam conduzir a um mau resultado.
“O Elvas” começou mal a partida, a perder várias vezes a bola e a não estar bem no lançamento. O Seixal aproveitou bem o desacerto alentejano e conseguiu cavar um fosso que praticamente definiu o vencedor da partida. Parcial de 22-11 para os da casa, mas os elvenses estiveram mais concentrados no segundo período, defendendo melhor e estando mais acertados em ataque. Recuperou um pouco a desvantagem no marcador, mas, mesmo assim, foi curto para aquilo que se desejava. Parcial para os comandados de Tiago Oliveira de 15-18 e, ao intervalo, o marcador registava um 37-29 que permitia ainda sonhar com a reviravolta.
A segunda parte foi equilibrada, mas não muito bem jogada, com as defesas a serem superiores aos ataques. Foi o Seixal que conseguiu estar mais tranquilo em jogo e, por isso, acabou por vencer. “O Elvas” voltou a cometer muitos turn overs e a não aproveitar os lances livres que dispôs. Parcial de 14-11 para os da casa no terceiro período, para marcar uma diferença de 11 pontos (51-40). Não era uma desvantagem irrecuperável, mas era um dia não para os azuis e ouro e o último período foi o pior no capítulo do lançamento. Parcial de 13-7 para o Seixal, numa justa vitória dos da casa (64-47), com uma boa atitude de “O Elvas”, mas os erros próprios marcaram a diferença final.
Amanhã, domingo, “O Elvas” realizará o segundo jogo da dupla jornada do fim-de-semana, com a deslocação a Ponte de Sor para defrontar o Eléctrico, com início marcado para as 18 horas.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Desporto

Veja também

Bombeiros ameaçam não transportar doentes com alta hospitalar

A Liga dos Bombeiros Portugueses vai pedir audiências ao Presidente da República e ao prim…